Make your own free website on Tripod.com

JEAN PIAGET

 

Jean Piaget nasceu em 9 de agosto de 1896, em Neuchâtl, e morreu em setembro de 1980, em Genebra. Era filho mais velho de Arthur Piaget, professor de Literatura medieval e de Rebecca Jackson, Morava nos arredores de Genebra, que situa-se geograficamente próximo à França, onde Piaget costumava passear, Desde criança, manifestava sua inclinação para o estudo do conhecimento e desenvolvimento da inteligência. Estudou Biologia, e essa ciência, foi sua grande esfera de trabalho, iniciou seus estudos, observando o comportamento animal, em especial o dos moluscos, vindo a tomar-se um malacólogo de renome. Com o tempo foi vinculando a Biologia á Filosofia das ciências naturais, ao mundo do conhecimento e da inteligência, dando vazão às suas pesquisas, tomando-se o grande pensador que foi, Assim, deixou um grande legado à educação com seu trabalho; apesar de não considerar-se um pedagogo (Piaget, 1988).

Jean Piaget (1896 - 1980) é o mais conhecido dos teóricos que defendem a visão interacionista de desenvolvimento, formado em Biologia e Filosofia, dedicou-se a investigar cientificamente como se forma o conhecimento. Ele considerou que se estudasse cuidadosamente e profundamente a maneira pela qual as crianças constroem as noções fundamentais de conhecimento lógico, tais como as de tempo, espaço, objeto, casualidade etc

Piaget propôs que o desenvolvimento cognitivo se realiza em estágios. Em linhas gerais, Piaget esquematiza o desenvolvimento intelectual em : estágio sensório - motor (0 a 2 anos), estágio pré-operacional (2 a 6 anos), estágio de operações concretas (7 a 11 anos) e estágio de operações formais (12 anos em diante).

  1° ESTÁGIO: SENSÓRIO - MOTOR (0 A 2 ANOS)

Neste estágio inicial, a atividade intelectual é de natureza sensorial e motora: a criança percebe o ambiente e age sobre ele. A inteligência é prática. As noções de espaço e tempo são construídas pela ação. O contato com o meio é direto e imediato, sem representação ou pensamento. Exemplo: O bebê pega o que está em sua mão; "mamã' o que é posto em sua boca:” vê “o que está diante de si. Aprimorando esses esquemas é capaz de ver um objeto, pegá-lo e levá-lo a boca.

 

2° ESTÁGIO: INTELIGÊNCIA INTUITIVA OU PRÉ-OPERATÓRIA (2 A 6 ANOS)

O principal progresso desse período, em relação ao 1°, é o desenvolvimento da capacidade simbólica. A criança começa a usar símbolos mentais - imagens ou palavras - que representam objetos que não estão presentes. Há nesse período também, uma verdadeira explosão lingüística.

 

Algumas características:

Ø     Egocentrismo (incapacidade de se colocar no ponto de vista do outro).

Ø    Centralização (a criança não relaciona entre si os diferentes aspectos ou dimensões de uma situação).

Ø    Animismo (atribui vida aos objetos).

Ø    Realismo nominal (pensa que o nome faz parte do objeto - ex. pensa que o nome da Lua sempre foi esse. E que é impossível chamá-la de outra forma).

 

3° ESTÁGIO: OPERATÓRIO CONCRETO (7 A 11 ANOS)

As operações consistem em transformações reversíveis e tal reversibilidade pode consistir em imersões. A criança de 7 á 11 compreende cada uma dessas formas de reversibilidade, sem , contudo, coordena-las. As operações são uma fase de transição entre as ações e as estruturas lógicas mais gerais.

 

4° ESTÁGIO: OPERATÓRIO FORMAL APÓS OS 12 ANOS

Ocorre de 11-12 anos a 14-15 anos, apresenta como característica essencial à distinção entre o real e o possível, capaz de prever todas as relações que poderiam ser válidas e logo procura determinar, por experimentação e analise, qual dessas relações possíveis tem validez real:

Voltar